COMPROMISSO – o ingrediente essencial para atingir as nossas metas!

 Imagem

 

“O Impossível só é impossível, até alguém realizá-lo”

Esta frase deve estar sempre bem presente aquando do início das nossas ações com vista a alcançar os objetivos. Para a realização dos nossos sonhos precisamos de um plano de ação. Planear e realizar cada passo, com determinação, perseverança e sobretudo assumindo o COMPROMISSO da realização desse sonho.

A grande maioria das pessoas quer realizar os seus objetivos, mas por vezes avança apenas alguns passos em em direção às suas metas. Porquê que isto acontece? Falta de planeamento? Falha do trabalho do coach contratado? De quem é a culpa?

As  resposta favoritas e mais fáceis são colocar a culpa nas pessoas que nos rodeiam, no governo, na conjuntura atual, na falta de tempo, na falta de dinheiro, enfim na falta de meios para se alcançar o sucesso. O difícil é assumir a responsabilidade das nossas ações, ora veja: pense num sonho que ainda não conseguiu realizar. Feche os olhos, concentre-se e faça a si mesmo as seguintes perguntas?

Quanto eu estou comprometido com o meu sonho? Quanto estou disposto(a) a dar de mim mesmo(a) para realizar o meu sonho? objetivo?

Quando encontrármos as respostas a estas perguntas, respostas sinceras, desprovidas de qualquer auto-julgamento e/ou críticas, teremos então dado um grande  passo em direção à realização do que planeámos. É aqui que entra o COMPROMISSO. Comprometermo-nos com algo, é fazer um contrato pessoal em como este sonho é realmente importante, e que iremos usar todas as nossas forças, meios e competências para realizá-lo. Podemos então perceber, que talvez não tenhamos as competências necessárias, mas se é nosso objetivo, faz parte então desse contrato procurar essas competências, aprender novas técnicas, descobrir os nossos valores que nos remetem a essa concretização na nossa vida.

Se me perguntarem, é um processo fácil? Não, principalmente quando nos habituamos a transferir a nossa responsabilidade para causa exteriores, completamente alheias à nossa vontade. Quando fazemos isto, não estamos a querer sair da nossa zona de conforto e estamos sobretudo a assumir que não estamos plenamente comprometidos com o nosso sonho.

O que é que podemos fazer para nos comprometermos com o nosso objetivo?

Um bom princípio, é procurarmos o nosso comprometimento nas pequenas necessidades. Se pensarmos na Hierarquia das Necessidades – a Pirâmide de Maslow, na base estão as nossas necessidades básicas, as Necessidades Fisiológicas. É aqui, na base, que iremos encontrar a raiz do comprometimento com os nossos desejos. Tomemos como exemplo a Necessidade de Respirar. Quanto tempo, cada um de nós consegue ficar sem respirar? 1 minuto? 5 minutos? Depende de cada um, mas se alguém, sem nenhum motivo, retirar a sua capacidade de respirar, o quanto está comprometido consigo mesmo, para resgatar essa capacidade? O que seria capaz de fazer, para que pudesse voltar a sentir o oxigénio a entrar nos seus pulmões? Esta resposta é a raiz do comprometimento. Quando estamos falando de nossas necessidades básicas, sejam elas comer, respirar, dormir, entre muitas outras, o compromisso surge como uma força quase que incontrolável. Este é o nosso instinto de sobrevivência.

Ao avançarmos na nossa Pirâmide, chegamos ao campo da Segurança. Quando todas as nossas necessidades primárias estão saciadas, o nosso comprometimento ainda tem um forte peso nas nossas decisões.Hoje, você pode ter uma família, mulher/marido, filhos. Quanto você está disposto a dar-se às pessoas que estão ao seu lado, que dividem um sentimento forte de afeto, para que estas pessoas se sintam seguras? Confortáveis? Imagine a seguinte situação: tem um emprego em que tem de aturar um chefe chato, que em vez de motivar só sabe humilhar? Quanto tempo aguenta esta situação? O que é que o faz manter neste trabalho? Adivinhe – o Compromisso.  É o seu comprometimento com as pessoas que estão ao seu lado, que o fazem prosseguir, mesmo quando a sua vontade é sair daquele emprego e desistir.

Subindo mais um degrau na pirâmide, chegamos aos relacionamentos pessoais. Da mesma forma que a segurança, os relacionamentos pessoais trazem-nos um compromisso voltado para terceiros, direcionado para pessoas que estão à nossa volta e representam algo de valor. Comprometemo-nos a sair com os nossos amigos, comprometemo-nos a ir jantar com o(a) namorado(a) numa data especial. Todas estas situações mostram que temos a capacidade de comprometimento. Mas em todas estas situações, não encontrámos ainda a fórmula de usar este comprometimento a nosso favor. Chegamos  ao quarto e quinto degrau da Pirâmide de Maslow.

Já vimos que podemos comprometermo-nos, tanto de  uma forma irracional, para satisfazer as nossas necessidades básicas como para a segurança da nossa família, ou até mesmo para o envolvimento de terceiros, mas então, porquê que é tão difícil quando chegamos a esta fase de encontrarmos a nossa auto-estima e as nossas realizações pessoais? de nos comprometermos connosco mesmos? Isto acontece porque nos esquecemos com frequência de nos amarmos a nós mesmos.

Já sabemos onde o nosso comprometimento habita e ele é demonstrado facilmente quando a questão principal envolve outras pessoas. Mas quando se trata somente de nós mesmos? Quanto nós nos estimamos? Sim, acordar de manhã e dar-nos o direito de uma boa espreguiçadela, de nos olharmos no espelho, a sorrir e desejar um bom dia a nós mesmos? Estes pequenos gestos passam despercebidos, pois estamos “comprometidos” com terceiros. E quando chegamos ao topo? Quando chegamos às nossas realizações pessoais? Como é que fica?

Há quanto tempo está a adiar aquela viagem? A compra daquele carro? O passeio de fim de semana com a sua família? É nestas pequenas ações que começamos a observar o quanto é difícil o compromisso, quando o assunto em questão somos nós. E então surgem as desculpas: Não tenho tempo. Não tenho dinheiro. Eu não consigo. A minha família não deixa. O meu chefe sufoca-me. Vamos lá mudar esta mentalidade. Este é o momento de tomar as rédeas da sua própria vida, e realizar o que deseja. O que te impede de fazer um planeamento e segui-lo? Quer fazer aquela viagem? O que o impede  de economizar um pouco de cada vez e planear a sua viagem para daqui  a 1 ano, 2 anos?

O que impede é a falta de COMPROMISSO com o seu desejo, com o seu sonho, e assim vão surgindo desculpas e mais desculpas para que o mesmo se perca no horizonte, para além da sua vista. Assuma o COMPROMISSO com os seus objetivos, descubra as suas motivações e necessidades, traçe um plano de ação e concretize os seus SONHOS.Clique aqui para editar .

1 Comentário

  1. Muito oportuno, quando a necessidade de se superar nunca foi tao urgente como nestes momentos de pandemia e pós. Muito obrigada, Sandra Felix!

Quer comentar? Faça-o aqui